Vitoria Moda 2018 : preview Salão Criativo por Fábio Juchen

Vitoria Moda Semana de Moda Capixaba

Salão Criativo do Vitória Moda 2018

preview por Fábio Juchen

Brincos de concha, colares de fio de cobre, anéis de vidro, etiquetas personalizadas, rendas, toalhas, almofadas e muito outros itens podem ser encontrados no “Salão Criativo” no Vitória Moda 2018. “Neste espaço participam as empresas da cadeia produtiva da moda (ofícios da moda), economia criativa e artesanato (moda e iconografia) e tem curadoria de Jacqueline Chiabay, sendo um local muito atrativo para quem visita o evento”, afirma o Presidente da Câmara Setorial da Indústria do Vestuário, José Carlos Bergamin.

Entre os empresários participantes temos diversos que estarão em estandes individuais e alguns em estandes compartilhados. A empresária Rose Daúde Pereira – a frente da Rose Daúde Home – irá levar utilitários de mesa
posta. É possível conferir souplats, jogos americanos, almofadas, nécessaires, entre outros, com estampas exclusivas com um toque capixaba, como moqueca capixaba, beija-flor e pimenta rosa. No estande Red Wolf o
empresário Paulo Wolffgram Filho que está no mercado há 21 anos traz a coleção de peças de jeans e lavanderia. Seu principal produto é o ‘jeans private label’, com o desenvolvimento e produção das coleções com a marca do cliente. A Entre Panos by Valéria Oliveira trabalha com costura criativa e irá mostrar peças que são feitas com retalhos de tecidos, como porta celulares, carteiras e nécessaires, entre outros. Para quem gosta do som da natureza, que tal pios de pássaros? O empresário Fábio Coelho assume a gestão centenária da Pios Maurílio Coelho – uma referência na fabricação de pios/apitos de pássaros e fauna brasileira. Na Dona Cora, das empresárias Luciana e Ligia Moraes os artefatos têxteis são as estrelas, como bolsas, malas, mochilas, entre outros. No espaço da empresária Lays Cateno, o Valiria poderá ser encontrado peças de decoração têxtil, como almofadas personalizadas e feitas manualmente.

Consolidada no mercado, Jacqueline Chiabay está à frente de seu espaço de biojoia de couro e pedras. São objetos artesanais contemporâneos, trabalhados com design e conceito eco social, reproduzidos a partir do reuso de couro proveniente da indústria do vestuário, há mais de 20 anos no mercado. No Salão Criativo do Vitória Moda 2018 apresentará os acessórios de moda e biojoias feitos em diversas tramas e principalmente na técnica de lantejoulas de couro de cabra rebordadas. “Este produto é resultado de um projeto que coordeno há mais de oito anos e envolve mulheres de presídios capixabas – Projeto Novas Marias. Além de algumas peças criadas exclusivamente e em parceria com outros materiais e artesãos do Projeto Brasil Original Sebrae/ES”, diz Chiabay.

A Teretetê de Tatiana Moraes Amâncio é um atelier de costura e reforma de roupas e coleção autoral. A marca busca valorizar principalmente a mulher capixaba e abraçar a moda local, que tem grande potencial para crescer no cenário da moda. A Associação dos Artesãos de Barra do Riacho (Criarte) está no mercado há mais de 18 anos, sob os cuidados de Hildete Jorge Caliman, e leva para o evento a coleção Projeto Espírito das Águas, com o tema “Algas e corais do fundo do mar e das praias” inspirada na fauna e na flora marinha de Aracruz. Com foco na preservação ambiental, os produtos são caixas em MDF laqueado branco com animais em biscuit, luminárias em conchas e búzios, fios e tecidos como bolsas, almofadas, panos de prato bordado e aplicados com temas de animais, algas, corais e pratos da gastronomia local, como a moqueca capixaba. As Bordadeiras de Santa Cruz existem há mais de nove anos e também fazem parte do projeto. A coordenadora e voluntária Maria José Martins Magalhães, junto com mais três
voluntários, dirige o trabalho das 15 bordadeiras. O casal de artesãos Dayane Brunoro Silva e o Guilherme Henrique de Freitas Lemos estão à frente da marca Arte e Nós, há quatro anos. O casal é responsável pela produção, criação e comercialização de joias artesanais, a partir da técnica milenar dos nós, denominada macramê.

A Selena Atelier criada por Thais Katsilis entrou no mercado capixaba em 2016 e tem foco no ramo de noivas, na confecção de robes para making off e pré wedding Os produtos são confeccionados em materiais nobres, com uma
renda guipir exclusiva, por isso oferece um produto confortável e durável, que pode ser utilizado outras vezes, além do grande dia. O atelier comercializa para todo o país. A responsável e criadora do projeto “Arte na Quitanda” é Carla Carvalho, da Amoracajá. O projeto surgiu em 2015, a partir de um bate-papo entre amigos publicitários, e se tornou um mercado de ideias. No decorrer dos eventos, pessoas de diferentes segmentos começaram a participar. No espaço será possível conferir os produtos do Amoracajá, Armário de Cores, Atelier Terra e Fogo e Vitreria Luciana Guimarães.

Na Maravilhosa Mesa de Marcele Tavares e Isabelle Tavares elas comercializam utilitários de mesa posta, como sousplast, jogos americanos, trilhos de mesa, guardanapos de tecidos e prendedores de guardanapos, além de prendedores como argolas, pérolas, cordões. Os produtos são feitos a mão com tecidos de algodão e impermeáveis. A marca Femina Jóias ilustra em suas peças a atemporalidade nas composições diversas de looks que permeiam, do casual ao luxo unindo pedras naturais e cristais a metais, couro e camurça. Um antigo hobby em confeccionar os próprios brincos, colares e presentear amigas com peças artesanais, toma corpo em 2013, com a artesã Fernanda Rodrigues Puntel. Há mais de cinco anos, Céia Costa Canal está no segmento de acessórios de moda, com foco em acessórios para cabelo. A peça, como laços, tiaras, headbands, coroa de conchas, guirlandas, pentinhos florais e de conchas, turbantes, bandanas, colares, chockers e personalização de chapéu e bolsa de palha, são produzidas manualmente pela própria empresária. O arame ganha diversas formas nas mãos do artesão Edvan Rodrigues Lopes. Há dois anos o artesão começou produzindo cestas e porta guardanapo até chegar na confecção de acessórios, como anéis e braceletes.

Inspiração, paixão e aperfeiçoamento. Assim é a vida e o trabalho da artesã Mônica Ferreira, da Afroarte. A marca surgiu com a proposta de mostrar os valores culturais do afro brasileiro e do trabalho de família sobre fibras naturais. Arte educadora, Mônica cria peças que variam de artigos de coração a utilitários, cada uma com sua exclusividade. “É um designer único que só as fibras nos permite criar. Dificilmente terá outra peça igual”, diz.

A confecção de moda feminina também desperta inspiração no ES. Foi com a proposta de criar peças chaves, versáteis e confortáveis que aliam praticidade e sofisticação à rotina da mulher moderna que surgiu a Calê. Em 2017, Lara Fernandes Vilaça Martins, proprietária do negócio, deu os primeiros passos rumo ao movimento ‘Slow Fashion’ e não parou mais. “Nosso design é minimalista e funcional, ou seja: aqui nada é produzido por acaso ou por estação. Desenvolvemos peças chaves na tentativa de incentivar o consumo consciente e oferecer um ciclo de vida maior às roupas”, diz. A bijuteria em couro e metal é o segmento da marca Branca Vix. Criada há quatro anos por Márcia Fiuza, o trabalho é artesanal, com a produção de acessórios exclusivos, que dão um toque a mais nos looks masculinos e femininos. Já a artesã Luciana Guimarães mostra suas joias em vidro. Há 10 anos no mercado
confeccionando colares, brincos, pingentes, entre outros acessórios em vidro. É na fabricação de etiquetas bordadas e diversas do segmento para objetos e roupas, que o empresário Gustavo entrou no universo da confecção.
Há 20 anos nesse mercado, a SMB Etiquetas-Sistema Brasileiro de Marcação produz etiquetas e aviamentos de etiquetas para confecção, que vão desde etiquetas internas e externas a lacre de autenticidade para tag. A
empresa ainda oferece suporte técnico em sistema e impressoras. A Navarro Acessórios, marca da designer Rapha Navarro, nasceu em 2015. De lá para cá já foram inúmeras as conquistas da marca no âmbito nacional. Hoje, conhecida por seus maxi brincos em acrílico feitos artesanalmente seguindo o conceito de ‘slow fashion’, a marca já conquistou famosas como as cantoras Maria Rita e Gabi Amarantos, a apresentadora Sabrina Sato, e a badalada atriz global Giovanna Antonelli que inclusive usou os brincos da marca na sua última novela “Sol Nascente” da Rede Globo. Suas peças são confeccionadas em acrílico (carro chefe da marca), metais, resina e madeira.

A estamparia de peças e acessórios de praia manual e personalizada da Garoupas está no mercado desde 2016. As artesãs Cely, Sidiléia e Elizangela participam do projeto Espírito das Águas, e representam filhas e netas de
pescadores, que fazem molde e pintam a mão o mar e suas belezas em peças e acessórios de praia,

A criação de bijouteria de concha e papel faz parte da vida de Zenith Rosa há oito anos. Colares, tiaras, pulseiras, tornozeleiras e demais biojoias a base do mar são produzidos pela artesã. Do município de Piúma, Zenith fala da referência do artesanato capixaba em todo país. “As peças de artesanato, em especial de Piúma, são enviadas para todo o país, o que reforça a importância desse trabalho manual que é feito aqui”, diz. A Valdete Almeida confecciona artesanato em palha de café, desde 2002. Ela trabalha com a casca de café e a transforma em arte. O negócio, de origem familiar, já confeccionou mais de 50 peças diferentes e distribuiu em diversas lojas conceituadas pelo Brasil. Há apenas cinco meses no mercado, as artesãs Vládia Maciel e Mariana Reis encontraram no ramo de perfumaria uma oportunidade. A partir da marca Concha e Folha, elas produzem cosméticos naturais e veganos – sabonetes corporais e faciais, hidratantes e máscaras de argila – com a proposta de minimizar os impactos ambientais. A preocupação com a natureza vai da produção a logística. “Não utilizamos embalagens secundárias (caixas) e estamos implementando um sistema de logística reversa para destinação correta das nossas embalagens de plástico”, diz. Para as artesãs, “a beleza e a moda andam juntas e se influenciam mutuamente. Acreditamos que promovendo um olhar holístico para a beleza, contribuímos também para uma visão de moda mais consciente”, destaca.
Sabe aquela madeira que está deixada de lado e não tem utilidade? Nas mãos da artesã Celma Martins ganha forma e cor. Os pedaços de madeira se transformam em objetos de decoração como cabideiro, castiçal, revisteiro, bandeja, quadros, entre outros objetos que podem ser utilizados no dia a dia, segundo Celma. A Laços Nete Dadalto de Marinete Dadalto apresenta laços decorados, arcos, tiaras e presilhas feitas de sobras de tecidos, fitas e couro.

Também é possível encontrar participantes nos estandes compartilhados como no “Arte da Quitanda” onde estarão Amoracajá, Vitreria, Armário das Cores e Ateliê Terra e Fogo. No “Brasil Original Biojoia” teremos Jacqueline Chiabay, Zenith Rosa e Casa Árvore Biju. No estande de “Acessórios”, a empresa Nete Artes Artesanato e Pituã Design Acessórios. No “Rua das Artes” as empresas Valiria, Maravilhosa Mesa e Entrepanos by Valeria Oliveira. Em “Bijouteria” as empresas Branca Vix, Florê Acessórios e Todas as Cores Acessórios. No “Brasil Original Objetos 1”, Valdete Almeida, Fabio Coelho e Afro Arte. No “Brasil Original Objetos 2”, Celma Martins, Casa Árvore e Artesanato Indígena Josy e Fábio.

 No estande “Moda e Perfumaria”, Navarro Acessórios, Concha e Folha e Cale Confecção compõe o time. Já no “Joia Têxtil”, fazem parte Dayane Brunoro e Guilherme Lemos. Nos estandes individuais as empresas Red Wolf, Selena Atelier, SBM, Femina Joias, Teretetê, Revista Anima Mag, C&C Vendas, Dona Cora, Eliana Barbosa Estúdio, Céia Costa Acessórios e Rose Daúde levam seu trabalho.

Já  “Projeto Espírito das Águas” estarão Criarte, Garoupas e Bordadeiras Santa Cruz. A Associação dos Artesãos de Barra do Riacho (Criarte) que está no mercado há mais de 18 anos, sob os cuidados de Hildete Jorge Caliman,  levará para o evento a coleção Projeto Espírito das Águas, com o tema “Algas e corais do fundo do mar e das praias”, inspirada na fauna e na flora marinha de Aracruz. Com foco na preservação ambiental, os produtos são caixas em MDF laqueado branco com animais em biscuit, luminárias em conchas e búzios, fios e tecidos como bolsas, almofadas, panos de prato bordado e aplicados com temas de animais, algas, corais e pratos da gastronomia local, como a moqueca capixaba.  As Bordadeiras de Santa Cruz existem há mais de nove anos e também fazem parte do projeto 

O outro caso  é da empresa Concha e Folha que produz cosméticos naturais e veganos – sabonetes corporais e faciais, hidratantes e máscaras de argila. A empresa não utiliza embalagens secundárias entre outras questões que envolvem o meio ambiente. 

PROGRAMAÇÃO
A abertura do Vitória Moda 2018 no dia 30 de julho de 2018 (segunda-feira), às 19h30,  no Auditório da Findes, com um talk show com a estilista Lenny Niemeyer, contando com a jornalista Betty Feliz como mediadora. Já nos dias 31 de julho e 01 de agosto, também na Findes, haverá palestras com Luiza Sobral e Thomaz Azulay.

Os desfiles foram mantidos no Centro de Convenções de Vitória e serão realizados nos dias 02, 03 e 04 de agosto. Participam as grifes capixabas Praia, Epzodium, Duplicatta, Senai Cetiqt, Exatta, Villa Fiore, Adriana Candido, Onland, Nananne, Florest, Mahé, Flerte, Maldivas Beachwear, Dupla Meninna, Code 121, Saia de Chita, Magia do Mar, Zinsk, PKPremium, Verônica Santolini, Hula Hula, Angorá, Hagaef e Konyk.

02/08 – Quinta-Feira

18h30 – Praia Minhas Raízes / Epzodium / Duplicatta

20h – Senai Cetiq

21h30 – Exatta Fashion / Villa Fiore / Adriana Cândido

 

03/08 – Sexta- Feira

17h30 – Onland / Nananne / Florest

18h30 – Mahé / Flerte / Maldivas Beachwear

20h – Dupla Meninna / Code 121 /Saia de Chita

21h30 – Magia do Mar

 

04/08 – Sábado

15h – Zinsk / PK Premium

16h30 – Verônica Santolini / Hula Hula Moda Praia / Angorá Moda Praia

18h – Hagaef

19h30 – Konyk

POINT
Além disso, o evento ampliará o Espaço Gourmet com decoração temática, food trucks e DJ para animar o público.

10 ANOS DE VITÓRIA MODA
Em 10 anos de evento tivemos mais de 85 mil pessoas envolvidas com o projeto, como compradores, profissionais, estudantes, lojistas e visitantes. O evento já realizou 143 desfiles com média de seis mil convidados por edição e contou com 620 expositores, além de gerar cerca de R$ 90 milhões em negócios.

NEGÓCIOS
“A meta para este ano é gerar R$ 25 milhões em volume de negócios, pois as marcas irão lançar coleções no evento”, afirma o Presidente da Câmara Setorial da Indústria do Vestuário, José Carlos Bergamin. “Esperamos levar oito mil pessoas, no total, contando a participação nas palestras no Auditório da Findes e nos salões do Centro de Convenções de Vitória onde acontecem os desfiles e as apresentações das empresas das cadeias produtivas da moda”, explica Bergamin.

SUCESSO CONTINUA
Liderado pelo competente e dinâmico José Carlos Bergamin, numa iniciativa do Sistema Findes, em parceria com o Sesi/Senai- ES e correalização do Sebrae – ES, a semana de moda capixaba, tem tudo para repetir as exitosas edições anteriores. Para completar, uma afinada organização da Premium Marketing Promocional.

 

Vitoria Moda 2018 Semana de Moda Capixaba
Fabio Juchen no Vitoria Moda – Foto Henrique Fonseca

O editor dos sites sortimentos.com, modaeventos.com.br e looksdamoda.com esteve nas edições 2012, 2013, 2014, 2015, 2016 e 2017 no Vitória Moda a convite do Sistema Findes, Sebrae /ES e da Premium Marketing Promocional.